Facebook Twitter Flickr YouTube
Domingo, 3 de março de 2024 movimento ciência cidadã

documento

REMÉDIOS DO MATO * Rezadores e Rezadeiras e as Plantas Medicinais dos Quilombos de Queimada Nova-PI

REMÉDIOS DO MATO * Rezadores e Rezadeiras e as Plantas Medicinais dos Quilombos de Queimada Nova-PI

Cidadania

Autor(es): Suzana Hirooka e Talizia Hirooka Medeiros

Este trabalho envolveu o registro de valores culturais ligados à cura de enfermidades em cinco Quilombos (Sumidouro, Tapuio, Pitombera, Baixa da Onça e Volta do Riacho), situados no município de Queimada Nova, estado do Piauí. O modo de cura de uma população que tem dificuldade de acesso aos sistemas de saúde convencionais envolve práticas únicas, profundamente associadas ao meio ambiente e ao meio sociocultural em que está inserida. Essas práticas foram desenvolvidas ao longo de centenas de anos, através de um intenso conhecimento da Caatinga e plantas medicinais. Com fé manifestada através de rezas específicas para curar doenças, as plantas medicinais garantiram – e ainda garantem – a sobrevivência dos quilombolas no interior do agreste piauiense. Estudos apontam que 80% da população mundial utilizam plantas medicinais ou os derivados delas para seus problemas de saúde (BRASIL, 2015). A eficácia de muitos desses fitoterápicos está comprovada através de pesquisas científicas. Entretanto, poucos estudos acadêmicos analisaram ou se dedicaram à flora do bioma da Caatinga e sua relação com as populações quilombolas. Este registro traz amostras do conhecimento de populações tradicionais que, no cotidiano, fazem uso das plantas como remédios, de geração em geração. A reza é praticada por benzedeiras e benzedores que utilizam como principal meio de cura a Fé, expressa em orações geralmente relacionadas a um Santo Católico de devoção do rezador. Em muitos casos, as orações são aprendidas com a mãe ou a avó e se ligam fortemente ao plano espiritual, o que pode envolver uma missão divina de ajudar as pessoas que sofrem com certas doenças. Boa parte das vezes, as plantas usadas como remédios são precedidas pela reza e, juntas, formam o principal meio de cura tradicional das comunidades quilombolas.O presente livro envolveu mais de 15 horas de gravações com 36 entrevistas sobre rezas e plantas medicinais. Nosso objetivo foi registrar esse saber e reconhecer a importância dessa prática entre os agentes sociais, considerando que corre o risco de desaparecimento por conta da falta de interesse dos mais jovens, que já não se dedicam a conhecer e salvaguardar os valores da cura tradicional. Nosso objetivo foi registrar esse saber e reconhecer a importância dessa prática entre os agentes sociais, considerando que corre o risco de desaparecimento por conta da falta de interesse dos mais jovens, que já não se dedicam a conhecer e salvaguardar os valores da cura tradicional. Esta cartilha é um resultado do Programa de Gestão do Patrimônio Histórico e Cultural acerca das manifestações tradicionais quilombolas, desenvolvido pelo Departamento Environmental, Archeology e Biodiversity/Enel Green Power, sob a coordenação de Valeria Ladeira e Diego Carvalho.

Tipo: Publicação

Idioma: Português Br

Baixe aqui